Atraso de recurso federal prejudica entrega das casas do Guterres
Fullbanner1

Fullbanner2


Atraso de recurso federal prejudica entrega das casas do Guterres

Fonte:
SHARE
As casas do Residencial Guterres deveriam ser entregues no ano passado. Foto: Assessoria

Por causa do corte de recursos no orçamento deste ano pela União para Programa Minha Casa Minha Vida, 500 famílias que foram pré-selecionadas para o Residencial Guterres estão sendo prejudicadas devido ao atraso na entrega das casas do residencial, no bairro Tuiuiú em Primavera do Leste. O governo federal prorrogou o prazo de entrega das casas para 2017.

Em recente encontro com o ministro das Cidades, Gilberto Kassab (PSD), o prefeito Érico Piana explicou a situação do residencial, que está praticamente pronto e tinha previsão para ser entregue no ano passado, mas devido aos cortes no orçamento, o governo federal prorrogou o prazo de entrega. “Atualmente Primavera do Leste tem um déficit habitacional muito grande. Temos famílias que já foram pré-selecionadas e que estão aguardando a conclusão do Residencial Guterres, por causa disso existe a urgência na liberação dos recursos” explicou Piana.

A secretária de Assistência Social Marcia Rotili, destacou que já encaminhou ofício ao Ministério das Cidades, solicitando ao ministro Gilberto Kassab, providências urgentes para o término das obras do residencial. “Temos que ressaltar que o município vem procurando selecionar as famílias mais vulneráveis e em situação de risco. Em situação de risco, estão pré-selecionadas mais de oitenta famílias, que atualmente ocupam as margens da rodovia BR-070, as quais, por decisão judicial já deveriam ter desocupado o local. O município não possui nenhuma condição de oferecer aluguel social para essas famílias, nem mesmo possibilitar outras formas de assistência habitacional” informou.

Ainda na correspondência enviada ao ministro, a secretária Marcia Rotili destacou a importância de se concluir prioritariamente as unidades habitacionais ainda este ano para reduzir o déficit habitacional. “Estamos com mais de 1.500 famílias cadastradas na faixa 1, compatíveis para o Programa Minha Casa Minha Vida, inseridos no Cadastro Único e já consultadas junto à Caixa Econômica Federal, que se encontram no cadastro de reserva para futuros empreendimentos habitacionais” finalizou a secretária.

Montreal