Atendimentos Jurídicos e Psicológicos são oferecidos gratuitamente na Associação de Mulheres
Adventista



Atendimentos Jurídicos e Psicológicos são oferecidos gratuitamente na Associação de Mulheres

Fonte: Ana Flávia Dorsa
SHARE

A Associação de Mulheres de Rondonópolis volta a oferecer atendimentos psicológicos e agora passa a disponibilizar atendimentos jurídicos. As interessadas devem agendar os serviços que ocorrem todas as quartas-feiras na sede da instituição.

Os atendimentos jurídicos atendem causas de pensão, divórcio, divisão de bens e violência doméstica. Já os atendimentos psicológicos atende mulheres com traumas, depressão, conflitos familiares e terapia de casais. Para agendamento jurídico é necessário ligar para a Adriana pelo telefone (66) 99647-6946, já os atendimentos com psicóloga, deve ser feito com Crisleia pelo (66) 99995-8183.

Criada em 2013 a Associação iniciou os atendimentos na casa da fundadora e atual presidente Sandra Raquel Mendes, mas em 2015, foi beneficiada com a cedência do prédio de onde hoje funciona a sede, localizada na Avenida Sothero Silva, 614 no bairro Vila Aurora, em frente ao escritório regional de saúde. Já a reforma do prédio que custou R$14 mil mais o mobiliário e estrutura interna foram resultados de doações, principalmente da Câmara de Dirigentes Lojistas e Associação Comercial de Rondonópolis.

Cursos como de alimentos e reciclagem já foram oferecidos na instituição, mas, a presidente diz que quer desenvolver novos projetos e que precisa do apoio da sociedade para essa missão, afinal não conta com ajuda do poder público para nenhuma finalidade. “Se cada um fizer a sua parte, podemos fazer grandes coisas”, estima Sandra que espera que novos profissionais doem um pouco de tempo para as vítimas.

Por enquanto, apenas o Poder Judiciário tem acenado em favor da causa que também ganhou a simpatia da Polícia Militar através da Patrulha de Assistência a Vítima que será executada todas as quintas-feiras, oferecendo ainda mais acolhimento à vítima.

Já protocolada na Câmara Municipal e na Prefeitura de Rondonópolis, Sandra propõe que com o fechamento do Lar fraterno, a Associação que tem uma sede bem estruturada, possa oferecer acomodações para vítimas de violência, pois tem uma suíte livre para tal finalidade, mas por enquanto aguarda um retorno das autoridades.