Assembleia “patrola” Judiciário, salva mandato de Fabris e quer soltura de deputado
Supermoveis


Adventista

Assembleia “patrola” Judiciário, salva mandato de Fabris e quer soltura de deputado

Fonte: Da Redação
SHARE
Foto - JLSiqueira/ALMT

Sem ter a liberação ou aval formal do Judiciário, que buscou desde o dia 15 de setembro, quando o deputado estadual, Gilmar Fabris (PSD), foi preso, o plenário da Assembleia Legislativa do Mato Grosso – ALMT se posicionou autonomamente e decidiu, por unanimidade, revogar de maneira imediata a prisão e a suspensão do mandato do parlamentar, acusado de obstrução de Justiça em meio a Operação Malebolge. Inicialmente, o legislativo estadual “comeu barriga” e achou que precisava de um aval do Supremo Tribunal Federal – STF, onde transcorre investigação sobre diversos escândalos de Mato Grosso, para votar o caso. Quando descobriu, recentemente, que a situação estava a cargo apenas do Tribunal Regional Federal – TRF1, automaticamente os deputados se mobilizaram e cresceram o coro do respaldo Constitucional que possuem para validar ou não a decisão do Judiciário sobre um membro do parlamento e a situação se encaminhou rapidamente para o “salvamento” de Fabris. A votação acabou contabilizando 19 votos a favor do social-democrata e nenhum contra si. Cinco deputados, incluindo Sebastião Rezende (PSC), preferiram a ausência do que tomar um lado. A Procuradoria do Legislativo enviará, de imediato e de maneira oficial, a decisão tomada em plenário ao STF e ao TRF1. A expectativa de todos é que o alvará de soltura seja imediatamente deliberado e a Casa de Leis tenha de volta um dos seus membros mais polêmicos.

 

 

Montreal