Ararath tem 21 inquéritos com 80 investigados; 2016 será ano de “fortes...
Supermoveis

Fullbanner2


Ararath tem 21 inquéritos com 80 investigados; 2016 será ano de “fortes emoções”

Fonte:
SHARE
Foto: Imagem Ilustrativa

O Ministério Público Federal ainda trabalha em 21 inquéritos sigilosos na “Operação Ararath”, que apura desde 2013 crimes contra o sistema financeiro e de lavagem de dinheiro em Mato Grosso. As estimativas são de que mais de R$ 500 milhões tenham sido desviados dos cofres públicos do Estado entre os governos de Blairo Maggi (PR) e Silval Barbosa (PMDB).

Informações são de mais de 80 pessoas físicas e jurídicas estão entre os investigados pelas fraudes. A expectativa é de que novas fases da operação sejam realizadas a partir do mês de feveriro.

As investigações são feitas por uma força tarefa cinco procuradores da República. Integram a força-tarefa o procurador regional da República Gustavo Pessanha Veloso, da Procuradoria da República da 1ª Região (PRR1), e os procuradores da República Rodrigo Leite Prado, Ronaldo Pinheiro Queiroz, Vanessa Zago Ribeiro Scarmagnani e Denise Müller Slhessarenko.

Já foram oferecidas 11 denúncias contra 19 pessoas. Todas estão sob análise do juiz da 5ª Vara Federal, Jeferson Schneider.

Ex-secretários, empresários, advogados, políticos e um superintendente de banco figuram como denunciados. Além das condenações dos envolvidos nas fraudes, o Ministério Público Federal conseguiu o bloqueio de mais de R$ 140 milhões.

Até o momento, apenas uma condenação ocorreu. Éder Moraes, denunciado 7 vezes e apontado como o principal operador do esquema, foi condenado a 69 anos de prisão. O ex-superintendente do Bic Banco em Mato Grosso, Luiz Carlos Cuzziol, recebeu uma pena de 15 anos de reclusão.

Eder e Cuziol ainda terão que devolver R$ 16,725 milhões. No mesmo processo, a esposa de Eder, Laura Tereza da Costa Dias, foi absolvida.

A “Operação Ararath” já teve 10 fases, entre novembro de 2013 e dezembro de 2015. Eder Moraes já foi preso três vezes pela Polícia Federal, sendo a última em dezembro do ano passado por descumprimento das normas de utilização da tornozeleira eletrônica.

Outro que encontra-se preso é o empresário por conta da operação Celson Luiz Bezerra. Ele tentou ocultar provas durante cumprimento de mandado de busca e apreensão em sua residência, na 8ª fase da operação.

Também já foram detidos pelas fraudes o ex-deputado José Riva, Luiz Carlos Cuzziol. Riva hoje está preso por conta de fraude na verba de suprimentos da Assembleia Legislativa. Cuzziol, apesar de condenado, está recorrendo em liberdade.

STF

Existem ainda inquéritos relacionados a “Operação Ararath” no Supremo Tribunal Federal (STF). Isso porque, o senador Blairo Maggi, que faz parte do rol de investigados, detém prerrogativa de foro. Maggi só pode ser denunciado pela Procuradoria Geral da República.

LISTA DOS VALORES BLOQUEADOS 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: FolhaMax

Montreal