Após piloto ‘errar’ pista, MPF recomenda que Prefeitura de Rondonópolis melhore aeroporto
Supermoveis

Fullbanner2


Após piloto ‘errar’ pista, MPF recomenda que Prefeitura de Rondonópolis melhore aeroporto

Sabedor ou não da recomendação, prefeito anunciou antecipadamente os investimentos

Fonte:
SHARE

O Ministério Público Federal (MPF) recomendou que a Prefeitura de Rondonópolis instale dois sistemas de segurança e orientação para pouso, chamados de PAPI e RNAV, no aeroporto municipal Maestro Marinho Franco, nós próximos 60 dias. Segundo o procurador da República Guilherme Göpfert, autor da recomendação, os recentes problemas demonstraram a urgência na implantação dos sistemas.

Sabedor da recomendação ou não, o prefeito Percival Muniz (PPS) já havia anunciado a compra dos aparelhos, após pressão de vereadores, inclusive de Hélio Pichioni (PR), que estava em um fatídico voo recente da Passaredo, que quase acabou em tragédia. O gestor, no entanto, quis por na conta do governador Pedro Taques, a precariedade do aeroporto local, embora o próprio MPF viu em seu despacho a prefeitura como responsável pela ação.

Segundo o procurador, o incidente envolvendo o voo da companhia aérea Passaredo, que quase virou acidente, no dia 8 de janeiro deste ano e o recorrente desvio de voos para as cidades próximas em razão da impossibilidade de pouso no aeroporto municipal de Rondonópolis por condições meteorológicas adversas, demonstraram a urgência na implantação dos sistemas PAPI e RNAV.

Os itens são considerados de suma importância na navegação aeroportuária, sendo que sistema PAPI (Precision Approach Path Indicator) – que em português significa “Indicador de Percurso de Aproximação de Precisão” – é um sistema de luzes que orientam os pilotos, principalmente em voos noturno e sob condições adversas de tempo. Já o RNAV é um sistema de trajetória de aproximação por GPS, que também auxilia a segurança do pouso dos aviões.

“A implementação dos dois sistemas de segurança, além de melhorar o nível de segurança e proteção à vida dos usuários do Aeroporto Maestro Marinho Franco, possibilitará a empresas aéreas a operar voos noturnos e com aviões de maior capacidade, bem como evitará os rotineiros transtornos decorrentes da impossibilidade de pouso por ausência de visibilidade, fazendo com que pousos sejam deslocados para Cuiabá/MT ou Campo Grande/MS, com todas implicações daí decorrentes”, explica o procurador da República.

PAPI

É um sistema de luzes, colocados geralmente ao lado esquerdo da pista, podendo entretanto por motivos físicos ser instalado do lado direito, também é muito comum estar dos dois lados, que têm por objetivo informar os pilotos sobre a altitude correta, ou precisa, em que se encontra o avião, quando este faz a aproximação à pista, para aterrar.

RNAV

A Navegação de Área (RNAV) permite a operação ao longo de qualquer rota dentro da cobertura de auxílios à navegação baseados em uma estação de solo ou dentro de certos limites com “auxílios auto-contidos”, também conhecidos como “waypoints”, ou uma combinação dos dois. Esses equipamentos permitem que as aeronaves possam voar em rotas, efetuar procedimentos de aproximação e subida dentro de uma determinada precisão.

Caso Passaredo

A aeronave (ATR-72) da Passaredo Linhas Aéreas que atingiu uma lavoura de soja e rompeu uma cerca de arame farpado ao tentar pousar no Aeroporto Maestro Marinho Franco, em Rondonópolis, no último sábado (09), sofreu danos em sua fuselagem e na hélice. Relatos apontam que o avião ‘errou a pista’ e pousou na plantação. Em nota, a empresa informou ter sido necessário o procedimento de arremetida, após toque da aeronave no solo.

Fonte: Da Redação com Cenário MT

Montreal