Após chamar eleitores de lula de burros, Bolsonaro muda postura visando eleição
Fullbanner1



Após chamar eleitores de lula de burros, Bolsonaro muda postura visando eleição

Fonte: Da Redação NMT
SHARE
Foto - Gabriela Korossy/Câmara dos Deputados

O deputado federal, Jair Bolsonaro (PSL), após dizer atrocidades que o tornaram famoso, está visivelmente transformado em um novo personagem político no intuito de mandar uma mensagem de que não é tão desequilibrado assim, na tentativa de driblar uma das principais críticas contra si. O NMT resgatou um vídeo de anos atrás, em meio a meia maratona do Rio de Janeiro, onde o parlamentar, que na época sequer sonhava concorrer a presidência com alguma chance, aparece com um punhado de mato na mão provocando eleitores do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva (PT), atletas do evento ou transeuntes, para comerem o capim.

Agora, pré-candidato a presidência, eis que surge a tão esperada condenação do ex-presidente petista, que tanto foi alvo a aparente teatral ira do deputado. Bolsonaro, porém, comentou bem superficialmente a prisão expedida por Sérgio Moro e ressaltou apenas que a Justiça estava sendo feita, frustrando os tantos seguidores que esperavam o que chamam de nova “mitada” do ídolo. Sem muito recurso financeiro de campanha e muito menos apoio político, sobretudo no chamado primeiro turno, onde muitos já apostam em seu naufrágio, Bolsonaro tem na ligação direta com o eleitor sua única chance. Para tanto, a estratégia que montou é simples: mostrar que não é tão maluco assim.

A nítida avaliação que fez é que o público que possui, cerca de 18% da preferência em um cenário sem a presença do ex-presidente Lula na disputa, segundo o Datafolha, não lhe daria condições de aspirar boas chances de vitória, já que a tendência de outros candidatos seria crescer muito ao herdarem os votos do petista, enquanto Bolsonaro estagnaria na sua militância que é ativista, mas muitas vezes, feito ele próprio, afasta novos apoiadores pela maneira desmedida de agir. Sendo assim, a única saída é realmente conquistar novos públicos, talvez seduzindo aqueles que talvez até concordem com suas pautas, mas que temem um presidente raivoso comandando o país.

Resta saber se com a postura Bolsonaro não venha a desanimar seu público já existente, que começa a notar sua mudança repentina de atitude frente aos principais temas. Sem contar, é claro, o desgaste natural que possui de seus vídeos e atuações mais antigas, que voltarão fortemente à tona e que não conseguirá esconder. O vídeo citado por este chicote, por exemplo, onde compara apoiadores de Lula com burros, circula até hoje nas redes sociais o desgastando e na subtração de importantes e potenciais votos.

Abdicar totalmente dos mais de 35% que o petista preso possui de preferência popular  não é coisa para quem almeja ganhar eleição da amplitude da presidencial, até porque existem muitas pessoas que votam “em Lula, não no PT…”, deixando apenas para uma faixa de 15% deste montante os ideológicos de esquerda que não votariam no candidato do PSL de jeito nenhum. O problema para Bolsonaro é que estes outros 20% certamente não verão em quem os chamou de burros um norte para suas escolhas. Pode ser tarde para uma reversão, mesmo com mudança de postura…

Assista e note a diferença do Bolsonaro de antigamente e o atual, comentando a prisão de Lula.