Aparelhos celulares correspondem a 55% dos roubos em Cuiabá
Fullbanner1

Fullbanner2


Aparelhos celulares correspondem a 55% dos roubos em Cuiabá

Fonte: NOTÍCIAS DE MATO GROSSO com Assessoria
SHARE

Mais da metade das ocorrências de roubo registradas de janeiro a maio de 2017, em Cuiabá, corresponde a roubo de aparelho celular. Foram registrados, neste período, 3.226 ocorrências de roubo. Destas, 1.784 foram relacionadas a aparelho celular, totalizando 55% dos registros.

No mesmo período de 2016, foram 4.409 ocorrências de roubo na Capital, sendo 2.215 somente de aparelho celular, correspondendo a 50% dos registros.

Na cidade industrial, o cenário estatístico não é diferente. Uma grande fatia dos roubos registrados em Várzea Grande este ano corresponde a aparelho celular. De janeiro a maio, foram 1.791 roubos, sendo 776 de celular, representando 43% dos registros.

Já no ano passado, Várzea Grande registrou, nos cinco primeiros meses, 2.381 roubos, sendo 795, ou seja, 33% deles, de aparelho celular.

A partir do dia 19 de julho, o bloqueio do aparelho telefônico poderá ser feito no ato do registro do boletim de ocorrência em todas as delegacias da Polícia Civil no estado.

Em 2016, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e a Polícia Judiciária Civil (PJC-MT) fizeram um termo de adesão para acesso ao módulo de Cadastro de Estações Móveis Impedidas (CEMI) da Segurança Pública.

O CEMI é uma plataforma centralizada, que visa impedir que aparelhos de telefonia móvel roubados, furtados ou extraviados sejam utilizados indevidamente nas redes das operadoras brasileiras. O sistema é gerenciado pela Associação Brasileira de Recursos em Telecomunicações (ABR Telecom).

O secretário-adjunto de Inteligência da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), Gustavo Garcia, diz acreditar que a medida vai inibir os roubos e furtos, já que o aparelho ficará bloqueado e não terá funcionalidade, mesmo trocando os chips.

“A população deve comunicar o registro da ocorrência e autorizar o bloqueio. É importante também que quem for procurado para comprar um celular bloqueado comunique isso à polícia, para se chegar aos autores dos roubos e furtos”, disse.

Uma das unidades da Polícia Civil que já realiza o serviço de bloqueio do aparelho celular é a Delegacia de Roubos e Furtos de Cuiabá. A delegada titular, Luciani Barros, também acredita na redução das ocorrências ligadas à receptação dos aparelhos de celular roubados ou furtados.

“Se o criminoso rouba um aparelho e não tem destino, perde-se o interesse, principalmente nos roubos em via pública, quando a pessoa está falando e o celular é levado para trocar por drogas nas bocas de fumo”, falou.

Registro e bloqueio

Ao fazer o registro da ocorrência na delegacia, a informação estará consignada no boletim de ocorrência, que será repassado a um dos pontos em que um servidor da Polícia Civil, com a senha de acesso ao CEMI Segurança Pública, fará a inserção do pedido de bloqueio à central da ABR Telecom, que replica a informação para as todas as operadoras do Sistema Móvel Pessoal (SMP), com fins de inibição do uso do aparelho roubado/furtado.

O cidadão que tiver o celular subtraído, basta procurar uma delegacia de polícia e informar o número da linha telefônica para que seja feito o bloqueio. Antes, o usuário somente conseguia bloquear o aparelho diretamente nas operadoras informando o IMEI, número de registro de fábrica do aparelho.

Esse número está na nota fiscal do equipamento, o que muitos consumidores desconhecem. Outra forma de identificar é digitando no próprio aparelho o código *#06#.

O equipamento será incluído em uma lista de celulares roubados, furtados, extraviados ou perdidos, tanto em território nacional quanto em outros países.  Em caso de aparelhos com dois chips, o usuário deverá informar o número das duas linhas.

Também é possível o bloqueio no CEMI Segurança Pública de cargas de aparelhos celulares que forem furtadas ou roubadas durante armazenamento no fabricante, distribuidores, no transporte e pontos de vendas.

Na região metropolitana, a inclusão do pedido ao CEMI já é possível na Central de Registro de Ocorrências, na Avenida Prainha, e nas Delegacias de Roubos e Furtos de Cuiabá e de Várzea Grande.

No interior do estado, há três pontos para inserção: Delegacia Regional de Rondonópolis, Delegacia Regional de Sinop e Delegacia Regional de Cáceres. O recebimento das ocorrências será feito via sistema, por comunicação das unidades.

Mato Grosso é um dos sete estados que aderiram ao bloqueio direto em delegacias de polícia. O serviço já está disponível na Bahia, Ceará e Espírito Santo. Outros em adesão são: Goiás, Rio de Janeiro e São Paulo.

Montreal