Antônio Joaquim grava vídeo rebatendo trechos da delação de Silval
Fullbanner1

Fullbanner2


Antônio Joaquim grava vídeo rebatendo trechos da delação de Silval

Fonte: da redação
SHARE
Em sua página do Facebook, Joaquim grava video de defesa. Foto: reprodução.

Segundo revelaram os documentos da íntegra da delação do ex-governador Silval Barbosa, os conselheiros José Carlos Novelli, Sergio Ricardo, Valter Albano, Antônio Joaquim e Waldir Teis queriam receber valores para garantir o bom andamento das obras da Copa do Mundo, do MT Integrado, Petrobrás e outros projetos.

Após algumas reuniões no Palácio Paiaguas, foi negociado um pagamento de R$ 53 milhões para que o TCE não atrapalhasse os andamentos dos programas. O dinheiro teria sido distribuído entre os conselheiros citados entre 2012 e 2014.

“Para esse pagamento, o Conselheiro Novelli exigiu que o colaborador assinasse 36 notas promissórias no valor total de R$ 53 milhões de reais, a serem pagas em 18 meses, sendo que 02 (duas) notas promissórias venciam em cada um dos 18 meses, sendo uma no valor aproximado de R$ 1.150.000,00 e outro no valor de R$ 2.800.000,00, sendo que o Conselheiro Novelli dizia ao colaborador que precisava das notas promissórias para comprovar para os demais conselheiros que tinham a garantia do pagamento das propinas”, revela um trecho da delação.

Ainda segundo o relado de Silval, seu então secretário da Casa Civil, Pedro Nadaf, seria um intermediário entre os conselheiros do TCE.

O sigilo da delação foi quebrado nesta quinta-feira (24) pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, após o vazamento de trechos pela TV Globo.

No vídeo divulgado nesta sexta-feira (25) em seu Facebook, Antônio Joaquim se defendeu de acusações feitas por Silval de que ele teria elaborado um contrato fraudulento de venda de uma fazenda em seu nome e de sua esposa para uma empresa que servia de laranja do próprio Silval. Após essa primeira defesa, Joaquim lançou um desafio.

“Eu posso desafiar o doutor Silval Barbosa e quem quer que seja para mostrar uma imagem, um registo meu em qualquer tipo de reunião nesse sentido”, disse. “Nunca tratei com senhor Nadaf ou com senhor Barbosa, nada que não fosse republicado”, completou.

Ainda no vídeo, Joaquim descarta qualquer possibilidade de ter sido filmado em conversa sobre qualquer negociata e afirma que nunca autorizou ninguém para negociar em seu nome. Diz ter nunca recebido nenhum centavo de propina do governo Silval e de nenhum outro. “A delação por si só não é prova, é preciso provar”, reforçou.

Ao final do vídeo, Antônio Joaquim afirma que vai retornar para a vida política a partir do mês de outubro. Um de seus maiores apoiadores é o deputado federal Carlos Bezerra, figura pública citada diversas vezes na delação de Silval.

Veja o vídeo abaixo:

Meus amigos, quem me conhece sabe que nunca me calarei diante de inverdades, e agora, mais ainda, não poderia me calar. Assistam o vídeo e compartilhem para que a verdade se espalhe.

Posted by Antonio Joaquim on Friday, August 25, 2017

Montreal