Análise: sonolento, São Paulo volta a errar muito; Renan merece ser titular
Supermoveis



Análise: sonolento, São Paulo volta a errar muito; Renan merece ser titular

Fonte: Carlos Augusto Ferrari
SHARE

O São Paulo pode agradecer a Renan Ribeiro pelo ponto conquistado
contra o Ituano, sábado, no Morumbi, pelo Paulistão (veja aqui como foi a partida). Se desta vez o
ataque não foi capaz de compensar o excessivo número de falhas defensivas,
coube ao goleiro, que pela primeira vez na temporada foi titular. fazer grandes defesas e evitar a derrota. O momento é de
preocupação com tantos erros perto de fases decisivas no estadual e Copa do
Brasil. Olha o que disse Ceni:

– Foi a pior atuação desde que cheguei. Não sei se foi porque jogamos na quarta-feira e tivemos pouco tempo de preparação. Até reagimos no segundo tempo, quando criamos chances. Foi um jogo atípico em relação ao que vínhamos apresentando desde janeiro – falou o treinador.

Não há ataque no mundo capaz de suprir os buracos na defesa
tricolor. Rogério Ceni montou a zaga e a parte de marcação do meio de campo com
jogadores lentos. Jucilei e Cícero não conseguiram acompanhar a movimentação do
Ituano e foram facilmente envolvidos. Estourou em Breno e Douglas, novamente
muito expostos.

As laterais também colaboram bastante para que o São Paulo
tenha a defesa mais vazada do Paulistão, com 18 gols sofridos em nove rodadas.
Buffarini teve uma atuação terrível e foi substituído no intervalo. Bruno
continua com enorme dificuldade na marcação. O lance abaixo explica bem. Breno
saiu para dar combate pela direita e abriu o meio da zaga. Cícero não
acompanhou, e Simião só não marcou graças a Renan.

Sim, foi apenas uma partida. Mas Renan Ribeiro mostrou que, pelo menos, merece uma oportunidade para mostrar que pode ser titular. Merece uma sequência. Não por acaso, foi ovacionado pela torcida depois de salvar a equipe. Sidão e Denis em nenhuma das partidas em que atuaram na temporada passaram segurança.

+ Renan Ribeiro, sobre ótima atuação: “Agora consigo ter parâmetro”

A forte marcação do Ituano travou o São Paulo no ataque.
Muito lento para trocar passes, o time pouco se movimentou para criar espaços
e, de quebra, exagerou no número de passes errados. O gol saiu na única jogada
que funcionou. Anulado pela defesa rival, Pratto precisou deixar a área e dar
início ao lance em que Cueva finalizou por baixo de Fábio. após cruzamento de Bruno.

As trocas de Ceni no intervalo (João Schmidt por Douglas e
Júnior Tavares por Buffarini) em nada mudaram a postura do São Paulo. Ao
contrário, a equipe ficou ainda mais exposta. Jucilei virou zagueiro, e a
bola continuou chegando à área a todo momento. Renan fez uma, duas, três
defesas difíceis… até que Simião, livre, empatou pegando rebote.

Em nenhum momento o São Paulo deu demonstrações de que
poderia vencer. O Ituano continuou melhor depois do empate e poderia ter virado, com méritos. No dia em que Cueva
e Pratto não decidem, o Tricolor sofre. O argentino ainda carimbou a trave em
cabeçada. O peruano chegou a aparecer cara a cara com Fábio, mas desperdiçou em
um dos últimos lances do jogo.

Mesmo com o grupo embolado, o São Paulo fatalmente avançará
às quartas de final do Paulistão. Rogério Ceni, porém, tem pouco tempo para acertar a defesa e acabar com a dependência de Cueva. Pelo menos o goleiro titular
ele parece ter encontrado.