Análise: Pedro e Wendel aumentam dinâmica em Flu “moderno” de Abel
Fullbanner1



Análise: Pedro e Wendel aumentam dinâmica em Flu “moderno” de Abel

Fonte: Caio Filho
SHARE

Que o Fluminense de Abel Braga vem vencendo e convencendo não é
novidade. Mas com as ausências de Scarpa, lesionado, e Orejuela, que
defende o Equador nas Eliminatórias para a Copa de 2018, dois jogadores
desabrocharam de vez e passam a ser novas armas para o treinador. Assim
como na vitória no clássico contra o Botafogo, Wendel e Pedro se
destacaram no triunfo por 3 a 0 sobre o Macaé e aumentaram o leque de
possibilidades do Tricolor para 2017. Mais dinâmicos, tornaram a equipe
mais “moderna” no 4-1-4-1 utilizado pelo técnico.-
O primeiro gol do Richarlison é brincadeira. Três jogadores fora de
posição. Richarlison de 9, Pedro de meia. Com o tempo isso vai
aumentando, claro, a qualidade da equipe, como um todo – disse Abel, na
coletiva após a vitória no Giulite Coutinho.

O
que se viu do time na partida foram mais trocas de posição, ancoradas
por Pedro, um centroavante mais moderno que Dourado – com maior
capacidade técnica e visão de jogo (confira a assistência para
Wellington no vídeo acima). O jogador, que sai bastante da área, já
possui duas assistências em 2017, e tem tudo para seguir como titular.-
O Pedro vem treinando muito bem e achei que o Dourado caiu um pouco.
Entrou por critério técnico. Lucas e do Cavalieri recuperados de lesão,
voltaram ao time. A entrada do Pedro é um pouco diferente, foi uma opção
minha – declarou Abel Braga.

Além
disso, o camisa 32 – número de gols que marcou pelo Sub-20 em 2016,
quando foi artilheiro da base brasileira – também se destacou na
marcação na saída de bola do adversário. Foi de uma roubada dele, no
meio de campo, que nasceu o gol de Wellington. 

Único
jogador a subir após a Copa São Paulo de Juniores, Wendel chegou a
Xerém em 2015, após se destacar pelo Tigres do Brasil. O volante não
demorou a se adaptar ao Flu. Com muita qualidade, ele se destacou na
Copinha, “encantou” Abel nos treinos e ganhou uma vaga na relação do Carioca.-
Sobre o menino, é bom não falar muito (risos). Ele não consegue nem
pegar amarelo, não faz falta. É só bola. É um garoto que encanta. Tudo
que ele faz é simples, mas na dinâmica, a adaptação dele à
característica do Junior é muito boa. Se mantiver os pés no chão – e
parece que tem -, tem tudo para ser um dos grandes nomes desse
Fluminense – disse o técnico.

Atuando
como o único volante da equipe no 4-1-4-1, uma posição diferente da que
costumava atuar tanto na base como em seus primeiros jogos como
profissional, Wendel mostrou que também é capaz de substituir Orejuela,
constantemente convocado para a seleção do Equador. Com capacidade
técnica, ele melhorou a saída de bola e até se aventurou no ataque.E
para “piorar” a vida de Abel, Gustavo Scarpa ainda deve voltar de lesão
antes do fim do Campeonato Carioca. Mas cheio de opções, o treinador
não quer nem pensar nisso.- Não estou pensando nisso não
(risos). Não vou pensar nisso. Scarpa ainda está engessado, temos que ir
com calma, é um jogador acima da media, do normal, mas quando votar vai
ter que brigar também. Hoje, aí na frente, está difícil. Não vou
abdicar de jogar com três atacantes. Deixo para esquentar a cabeça
depois – finalizou.