Análise: com time reserva, São Paulo se complica de novo com “jogo...
Supermoveis



Análise: com time reserva, São Paulo se complica de novo com “jogo ganho”

Fonte: Marcelo Hazan
SHARE

O São Paulo cria chances, faz gols, empolga o torcedor e passa sufoco no fim. O roteiro, guardadas as devidas adaptações, tem sido parecido nos últimos jogos. O Tricolor sofreu gols na parte final dos duelos com Mirassol (2 a 2), São Bento (3 a 2) e Novorizontino, no empate por 2 a 2 do último sábado à noite, no interior paulista. A equipe teve oito alterações em relação ao time que atuava nas últimas partidas, pois Ceni optou por poupar os titulares.

Veja abaixo como o resultado foi construído:

Ceni iniciou o jogo com Shaylon (direita), Gilberto (centro) e Neilton (esquerda) – veja o posicionamento no vídeo acima. Os pontas trocaram de posição ao longo da partida. João Schmidt era o volante mais recuado, com Araruna (esquerda) e Thiago Mendes (direita) mais soltos. O trio formava um triângulo no meio de campo.

O primeiro gol do Tricolor saiu justamente com Shaylon ajudando Bruno pelo lado direito. Após tabela, o lateral foi ao fundo e cruzou para Gilberto abrir o placar (veja no vídeo abaixo).

Saída de bola: erros e acertos

Mesmo com o pesado campo do estádio Jorge Ismael de Biasi, o São Paulo manteve a filosofia de toques desde a defesa. Isso originou superioridade numérica, com chances de gols em alguns momentos, e lances de perigo para o Novorizontino em outro.

No início do jogo, por duas vezes, Denis e os defensores deram susto na torcida (veja nos dois vídeos acima).

Em outros momentos, no entanto, o goleiro iniciou jogadas de perigo e até a do segundo gol. Na primeira delas, ele lançou Buffarini. O argentino quase foi desarmado, mas se recuperou e o lance terminou com finalização de Gilberto.

Depois, no segundo tempo, o goleiro lançou a bola para o ataque, o mesmo Gilberto ganhou de cabeça da defesa e, com um toque, deixou Thiago Mendes livre para ampliar o placar.

Falhas

Ceni lamentou as chances desperdiçadas pelo São Paulo quando o placar apontava 2 a 0. O terceiro gol, na avaliação do treinador, encerraria o jogo e garantiria a vitória. Mas o Tricolor pecou nas finalizações novamente, mesmo sendo o melhor ataque do Paulista, com 17 gols.

A reação do Novorizontino começou com o pênalti cometido por Breno em Roberto, aos 22 minutos do segundo tempo. O primeiro gol do time mandante mudou completamente a partida. Daí em diante, o time local pressionou até conseguir o empate, aos 43 minutos.

Ceni explicou, por meio de um bilhete, que tentou reorganizar a equipe com João Schmidt e Jucilei, estreante, como volantes, e Araruna e Luiz Araújo abertos, para dobrar a marcação nas pontas. A linha de quatro, no entanto, não conseguiu conter o ímpeto do Novorizontino.

No segundo gol, Railan subiu mais do que Breno e encerrou o placar (veja no vídeo abaixo). Depois da partida, o treinador defendeu o zagueiro e citou o cansaço na etapa final.