Análise: ainda discreta, filosofia de Roger Machado tem início no Galo
Fullbanner1



Análise: ainda discreta, filosofia de Roger Machado tem início no Galo

Fonte: Fernando Martins Y Miguel
SHARE

Quem esperava ver um Atlético-MG já com a cara do técnico Roger Machado, logo no primeiro jogo da temporada, se decepcionou. Mas quem esperava ver, pelo menos, alguma correção dos problemas do time do ano passado, saiu do Independência satisfeito, ou, pelo menos, esperançoso. A vitória por 1 a 0 sobre o América TO (veja os lances no vídeo acima) foi magra e pode até ser questionada por conta do pênalti duvidoso marcado sobre Fred.

Mas considerando o volume de jogo, a posse de bola, a qualidade técnica e a busca pelo ataque a todo momento, o triunfo foi justo.

LEIA MAIS>> Roger comemora vitória na estreia e já vislumbra Elias ao lado de Carioca>> Nepomuceno diz que negociação com volante depende do próprio jogador

Dos problemas de 2016 foram corrigidos dois deles. A ligação direta entre defesa e ataque e a compactação. Já na estreia do Campeonato Mineiro, o time atleticano não fez uma jogada sequer oriunda de chutão da defesa. Os chutões lá de trás foram apenas para afastar o perigo e nunca para iniciar uma jogada de ataque.

Já a compactação pôde ser notada durante todo o primeiro tempo e parte do segundo. Atacantes pelas beiradas do campo como Clayton e Otero, e depois Maicosuel e Hyuri foram vistos várias vezes atrás da linha da bola quando o time não tinha a posse.

Os espaços entre as linhas defensivas foram mínimos e a aproximação entre os jogadores foi notada desde o começo do jogo. Tanto que o América TO não chegou uma vez sequer nos primeiros 45 minutos.

Levando em consideração o primeiro jogo da temporada, com os titulares tendo feito apenas 45 minutos de um jogo-treino durante a pré-temporada, e as ausências de Robinho e Luan, que treinaram quase toda a pré-temporada no time titular, o desempenho da equipe de Roger Machado foi satisfatório.