Alegando hipertensão e labirintite, Riva falta a audiência e juíza pede pra...
Fullbanner1

Fullbanner2


Alegando hipertensão e labirintite, Riva falta a audiência e juíza pede pra médico do SUS verificar atestado

Esta já é a terceira vez que o ex-deputado falta a uma audiência de instrução, devido a problemas de saúde

0
Fonte:
SHARE
Foto: Internet

Preso desde outubro de 2015, o ex-deputado José Geraldo Riva voltou a apresentar problemas de saúde e não compareceu às audiências de instrução que estavam agendadas para esta quarta-feira (3) na Sétima Vara Criminal de Cuiabá. Segundo informações passadas por seu corpo jurídico, o ex-presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso teve uma crise de labirintite e hipertensão.

Esta é a terceira vez que Riva falta a uma audiência de instrução alegando problemas de saúde. Por este motivo, a juíza Selma Rosane de Arruda determinou que o réu seja submetido a exames por um médico do sistema prisional ou do Sistema Único de Saúde (SUS), para verificar a veracidade do diagnóstico.

“Esse médico irá confirmar ou não o diagnóstico e a necessidade de permanecer em repouso, bem como a impossibilidade de comparecer à audiência. Caso essa impossibilidade não se confirme, o réu será declarado rebelde e o feito terá se curso normal. Todavia, caso a enfermidade seja confirmada e a impossibilidade de locomoção seja real, redesigno os interrogatórios para 11 de fevereiro, às 13h30”, despachou a juíza.

Riva apresentou atestado médico recomendando repouso por sete dias devido a uma crise de labirintite. Segundo o advogado Mário Sá, o ex-deputado teve crise de labirintite e hipertensão. “Ele sentiu vertigens e tontura e foi recomendado que não viesse à audiência”, disse.

O ex-deputado chegou a ser internado, no final do ano passado, em 3 de dezembro, devido a uma igual crise de labirintite e pressão alta. Ele recebeu alta após dois dias e foi enviado de volta ao Centro de Custódia da Capital, onde está preso preventivamente.

Hoje (3) seriam conduzidas duas audiências de instrução dos processos referentes às operações “Arca de Noé” e “Ventríloquo”, que investigam diferentes esquemas de desvio de dinheiro da Assembleia Legislativa de Mato Grosso supostamente liderados pelo ex-deputado.

Fonte: Da redação com Hipernotícias

 

 

 

 

Montreal