Aeroporto Maestro Marinho Franco recebe certificação da Anac
Adventista

Fullbanner1


Aeroporto Maestro Marinho Franco recebe certificação da Anac

Fonte: Assessoria.
SHARE
Foto: Assessoria.

A Prefeitura de Rondonópolis recebeu no dia 11 de outubro o Certificado Operacional do Aeroporto Municipal Maestro Marinho Franco. A portaria da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) que oficializou a operação na unidade foi publicada no Diário Oficial da União nesta quarta-feira (17) e pôs fim a um trabalho que vem sendo desenvolvido a pouco mais de um ano.

“A certificação garante que os aviões possam fazer pousos e decolagens com a ajuda de aparelhos que já estavam funcionando, porém sem a licença para operar”, explicou a superintendente do Aeroporto Municipal Maestro Marinho Franco, Bianca Araldi. A expectativa é que diminua o número de voos cancelados e que os aviões consigam pousar em Rondonópolis com a ajuda de aparelhos, mesmo em condições climáticas desfavoráveis.

Bianca Araldi comentou que todo o trabalho feito para que a Anac certificasse o aeroporto fez com que aumentasse o nível de seguridade dos voos, consequentemente dando maior segurança e tranquilidade para toda a tripulação. A superintendente lembrou que dentre as não conformidades que a Anac havia citado, todas foram sanadas, como a pintura da pista, sinalização vertical, iluminação do pátio, limpeza do sistema de drenagem, o cercamento de toda a área do aeroporto, além da revitalização da iluminação do balizamento e construção de caixas de luzes da cabeceira da pista.

Com o parecer da Anac aumentam as possibilidades do município receber novas companhias aéreas ou que as existentes passem a operar outras linhas para novas regiões do país, conforme contou o secretário de Transporte e Trânsito do município, Rodrigo Metello. Ele comentou que já esteve em contato com outras empresas que não operam na cidade com objetivo de apresentar as potencialidades da cidade e da região.

De posse da certificação, o Aeroporto Municipal poderá receber aviões a jato, como o Embraer 190 que a empresa Azul usa no Estado e o Boeing 737-700.