ADEUS A PAIXÃO CÔRTES – Dr. Francisco Mello
Adventista

Fullbanner1


ADEUS A PAIXÃO CÔRTES – Dr. Francisco Mello

Fonte:
SHARE

 

 

Em 27 de agosto próximo passado, aos 91 anos, morreu em Porto Alegre, João Paixão Côrtes, o Pai do CTG, e símbolo maior do tradicionalismo gaúcho. Seria apropriado chamar João Paixão Côrtes de mascote dos gaúchos? Por uma ótica elogiável e positiva, sim.

Imagine um gaúcho tradicionalista, vestido ou pilchado a caráter, bem a preceito dos costumes ministrados nos CTG, tanto na indumentária quanto na linguagem. Então vai da de cara com João Paixão Côrtes.

Sempre há quem discorde de tudo e de todos, inclusive dele.

Engana-se quem pensa que o tradicionalismo é abraçado e defendido por todos os gaúchos. O Rio Grande do Sul é culturalmente diversificado. Explico: os costumes do pessoal da campanha, missões e fronteiras com Uruguai e Argentina, tais como bailes de corredor, gaita ponto, churrasco em fogo de chão, rodeios, carreiradas, uso de boinas, tosquia, tafoneiros, esquiladores, posteiros, peões de estâncias etc, são diferentes da região litorânea, como Rio Grande, Osório, Santo Antônio da Patrulha, Tramandaí, Torres, Cidreira e até Porto Alegre.

Apesar disso, a importância dos Centros de Tradições Gaúchas, criados por João Paixão Côrtes é imensa no Rio Grande do Sul e fora dele. O gauchismo propriamente dito não existiria sem este homem notável que valorizou lendas, músicas, ditados e crendices gauchescas.

Natural de Santana do Livramento, Côrtes se notabilizou de tal modo que foi imortalizado com o panteão do Laçador representando o gaúcho na capital Porto Alegre. Saiba que em todos os Continentes existem CTG, graças a este gênio em apreço.   A riqueza cultural de sua arte torna-se maior e mais nobre quando ele insere holisticidade no Movimento Nativista com a presença de imigrantes, índios, negros e brancos.

Merecidamente João Paixão Côrtes está para a cultura tradicionalista gaúcha, como Bento Gonçalves, Garibaldi ou Canabarro estão para o Movimento Farroupilha. Neste trote, achei apropriado reverenciar este valoroso gaúcho no contexto de sua morte em agosto passado, assim como nas comemorações de “20 de setembro” que se aproximam em homenagem a Guerra dos Farrapos.

Abracito companheirada.

Dr. Francisco Mello dos Santos. Advogado Criminalista. OAB-MT 9550. Especialista em Direito Penal e Processual Penal. drfranciscomello@terra.com.br (669)96892292.