Acuado por Janot, Blairo garante que usará todos os meios legais para...
Supermoveis



Acuado por Janot, Blairo garante que usará todos os meios legais para se defender

Fonte: Da Redação
SHARE
Foto - Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O mau relacionamento entre o presidente Michel Temer (PMDB) e o procurador geral da República, Rodrigo Janot, que deixou o cargo neste início de semana para dar lugar a Raquel Dodge, acabou levando até o atual ministro e senador licenciado, Blairo Maggi (PP), o alvo principal dos últimos e notáveis atos contundentes, com grande apelo midiático, do maior nome do Ministério Público nos despachos derradeiros, com o claro viés, até em texto, de enfraquecer o atual Governo. Em falas comuns apenas na boca de candidatos desesperados com a derrota que se avizinha, Janot acolheu a delação de Silval Barbosa (PMDB) e a canalizou totalmente sobre os ombros de Blairo, pondo o ministro exatamente na mesma condição moral do próprio peemedebista, réu-confesso, além do ex-presidente da Assembleia Legislativa, José Riva.

Na denúncia oferecida ao ministro que homologou a delação de Barbosa no Supremo Tribunal Federal – STF, Luiz Fux, as argumentações utilizadas por Janot, bem como a conotação dada em seu texto, deixam muito claras as intenções de enlamear aquele que, dentre todos os envolvidos, poderia gerar a maior dor de cabeça a Temer a partir do momento que fosse entregue à sociedade como “criminoso”. “Entre os agentes políticos, destaca-se a figura de Blairo Borges Maggi, o qual exercia  incontestavelmente a função de liderança mais proeminente na ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA, embora se possa afirmar que outros personagens tinham também sua parcela de comando no grupo, entre eles o próprio Silval Barbosa e José Geraldo Riva”, pontuou Janot.

Entre as acusações contra Blairo relatadas por Silval e tomadas como lanças na guerra institucional fomentada por Janot, está a possível compra do silêncio do ex-secretário e homem de confiança da gestão, tanto de Silval como de Blairo, Éder Moraes. O valor de R$ 6 milhões teria sido acordado por ambos para que Moraes até mudasse depoimento. Nos últimos momentos, uma nova bomba, agora envolvendo uma solicitação formal feita por Blairo ao dono do Bic Banco (Banco Industrial e Comercial), José Bezerra de Menezes, dá conta de um possível empréstimo fraudulento também a Éder Moraes, para que o mesmo procedesse com pagamentos de dívidas políticas e eleitorais das mais diversas. No total, teriam sido movimentados na manobra cerca de R$ 130 milhões. Em seu despacho, Janot sustenta que Blairo teria conversado diretamente com Bezerra de Menezes.

Como um indicativo mais sólido do possível ilícito, foi encontrado, ainda segundo o despacho da PGR, uma carta fiança assinada por Maggi e dirigida ao Bic Banco, no valor de R$ 5 milhões, como garantia de um dos empréstimos, na casa de Éder Moraes, durante cumprimento de mandado de busca e apreensão. “Os recursos provenientes dos empréstimos foram utilizados para pagamento de dívidas políticas e eleitorais dos investigados e posteriormente quitadas, de forma dissimulada, com a utilização de pessoas jurídicas diversas, ligadas ao grupo político de Blairo Maggi e Silval Barbosa”, assina Janot, que ainda cita que uma instituição financeira fajuta possibilitou toda a movimentação do montante.

Após tudo posto na mesa, mas ainda muito pouco em provas ter vindo à superfície, Blairo, que foi mantido por Temer no cargo, aparentemente resolveu adotar como defesa o ataque e irá para cima das acusações contra ele. Em nota, o ministro da Agricultura e Pecuária ressalta, dentre outras coisas, o respeito que tem pelas outras instituições de poder que e para muitos mandou um recado a Janot. “Sempre respeitei o papel constitucional das Instituições e como governador, pautei a relação harmônica entre os poderes sobre os pilares do respeito à coisa pública e à ética institucional (…) ressalto que respeito o papel da Justiça no cumprimento do seu dever de investigação, mas deixo claro que usarei de todos os meios legais necessários para me defender”.

 

 

 

Montreal