Acostumada só com aplausos, ex-juíza Selma reclama de críticas
Adventista

Fullbanner1


Acostumada só com aplausos, ex-juíza Selma reclama de críticas

Fonte: Da Redação NMT
SHARE
Foto - Ednilson Aguiar/O Livre

A ex-juíza, Selma Arruda (PSL), depois de passar 22 anos pela intocabilidade da magistratura, onde até mesmo a imprensa pouco cita sobre os inúmeros privilégios de juízes, acoberta escândalos de vendas de sentença e minimiza o custo do Judiciário nacional, que se aproxima de R$ 85 bilhões ao ano, agora sofre com as críticas de quem se propõe a uma carreira política.

Pré-candidata ao Senado Federal, ela é defensora do mantimento de diversos benefícios acoplados aos ganhos de juízes que se transformam em claras manobras para ultrapassar o teto constitucional e que fazem, por exemplo, magistrados brasileiros, em início de carreira, ganharem, proporcionalmente, três vezes mais que os juízes alemães que também estejam iniciando seus trabalhos.

Recentemente, Selma foi criticada por uma outra candidata ao Senado, que viu incoerência na sua defesa desenfreada pela moralidade na política, mas sua vista grossa pelos ganhos exorbitantes do Judiciário. A pré-candidata do PSL, de maneira prepotente, disse não conhecer quem era a emissora da crítica, embora seja uma das empresárias mais bem sucedidas do estado.

Arruda também foi criticada por não ter aceitado passivamente a decisão do Tribuna de Justiça do Mato Grosso – TJMT, que suspendeu sua escolta de segurança, por entender que não há mais justificativa para o erário manter tal custo. A ex-juíza fez uma apelação improvável e, como se fosse um caminho recursal, recorreu ao governador  e ex-procurador da República, Pedro Taques (PSDB), para que esse bancasse a estrutura. E, para piorar, foi atendida.

Criticada por muita gente que viu a situação como absurdo, como é o caso do atual presidente da OAB/MT, Leonardo Campos, que entende que o Executivo Estadual “feriu o princípio da moralidade e da impessoalidade”, a ex-magistrada resolveu tentar virar o jogo. Selma resolveu assumir o discurso de vitimização e se diz ‘perseguida’, dando a entender que estão querendo prejudicar seu ingresso na política.

“Daqui uns dias até dormindo devo estar dando assunto para esse tipo de polêmica né. Parece que há um holofote negativo contra a minha pré-candidatura”, ressaltou Selma, que parece ainda não ter entendido que na política, diferentemente de onde ela veio, o ‘jogo é bruto’, como dizem os veteranos do setor.