ACIR recebe selo Amigo do catador
Supermoveis


Macropel

ACIR recebe selo Amigo do catador

Fonte: Assessoria
SHARE

A Cooperativa de Catadores de Materiais Recicláveis de Rondonópolis (Coopercicla) entregou nesta terça-feira a versão 2017 do selo Amigo do Catador. O projeto elaborado para estimular o descarte correto de materiais que podem ser recicláveis reconhece os parceiros que estão constantemente contribuindo com a doação de resíduos sólidos recicláveis para a cooperativa.

Foram entregues cerca de 40 selos, para que contribuem levando até a cooperativa seus resíduos recicláveis, e outras 50 empresas, indústrias, entidades representativas e escolas receberam o certificado de colaboração com o projeto também de forma indireta.

A Associação Comercial Industrial e Empresarial de Rondonópolis (ACIR) foi uma das entidades que receberam o selo, por participar desde o início do projeto dando apoio à cooperativa na realização dos eventos de mobilização na cidade e também na divulgação do trabalho dos catadores cooperados que depende diretamente das doações.

O presidente da ACIR, Juarez Orsolin, disse que é uma satisfação da Associação poder contribuir com projetos dessa natureza. “Além do papel de representar a classe comercial e empresarial e promover um ambiente de negócio favorável, a gente tem tido o cuidado de apoiar e se envolver em iniciativas que são realizadas na cidade que tem por finalidade contribuir com o desenvolvimento socioeconômico,” comentou.

Esse projeto alia os três pilares principais relacionados à sustentabilidade: a questão econômica, social e ambiental. Orsolin parabenizou as empresas e entidades que já colaboram com o projeto e disse que eles são exemplo para que novos voluntários ajudem o trabalho da cooperativa.

A procuradora do trabalho, Vanessa Martini, participou da cerimônia de entrega dos certificados e comentou sobre a atual situação dos catadores de materiais recicláveis. Ela chamou a atenção para a quantidade de lixo produzido por habitante, especialmente as latinhas, papelão e garrafas peti. Vanessa Martini ressaltou o trabalho das cooperativas que estão organizando os catadores do lixão que, brevemente, terão que participar de alguma cooperativa para atuarem no aterro sanitário após a construção.

Montreal