SHARE

A Secretaria Municipal de Promoção e Assistência Social apresentou números que comprovam a redução do número de famílias em descumprimento com as condicionalidades do programa Bolsa Família em Rondonópolis. Os dados do Relatório de Informações Sociais do Ministério de Desenvolvimento Social (MDS) apontam que, em julho deste ano, caiu para apenas 34 as famílias em situação irregular, sob risco de perder o benefício.  Em 2016, 406 famílias estavam nesta condição.

A secretária de Promoção e Assistência Social do município, Márcia Rotili comemorou o resultado positivo alcançado e atribui a redução do número de famílias ameaçadas de ficar sem o auxílio federal a um esforço de atuação integrada das equipes da Assistência Social, Saúde e Educação.

“Percebemos o problema do descumprimento e buscamos, lá no início do ano, formar uma força tarefa para superar essa situação, melhorar a frequência escolar e assegurar a continuidade no recebimento do benefício”, explicou.

O descumprimento das exigências expressa e reforça a situação de vulnerabilidade dessas famílias, que necessitam de uma atenção mais de perto por parte do Poder Público. “Ficamos felizes com a queda. Isso nos dá motivação para continuar com foco no trabalho de vigilância para identificar onde está ocorrendo a maior vulnerabilidade e atuar”, comentou.

As 406 famílias foram, então, divididas por áreas de abrangência dos  Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) e buscou-se uma ação direcionada para que voltassem a cumprir as agendas de educação e saúde exigidas pelo programa. O maior descumprimento foi nas regiões do CRAS do Conjunto São José e do Cidade Alta.

A principal preocupação, conforme a secretária, foi com a região do Cidade Alta, que atende a bairros como o Parque São Jorge até o Grande Conquista, onde inexistem programas sociais e ainda são poucos os equipamentos sociais públicos. Hoje, grande parte das mais de 300 crianças atendidas na Vila Olímpica, por exemplo, são oriundas destas regiões.

Atualmente, o Bolsa Família beneficia 7.227 famílias, que correspondem a 84,3% das famílias de baixa renda do município. O valor médio recebido é de R$ 129,54.

NENHUM COMENTÁRIO

DEIXE SEU COMENTÁRIO