A pedido de deputado, Mato Grosso pode ficar fora do horário de...
Adventista

Fullbanner1


A pedido de deputado, Mato Grosso pode ficar fora do horário de verão já em 2016

Entre os argumentos, parlamentar Victório Galli diz que os estudantes e trabalhadores ficam a mercê dos marginais por saírem ainda no escuro de casa, pela manhã.

Fonte:
SHARE
Galli solicitou resposta imediata do Governo Federal

A partir do ano que vem, Mato Grosso pode ficar de fora do horário de verão. O pedido para a retirada do estado do programa nacional foi feito, nos últimos dias, pelo deputado federal Victório Galli (PSC) ao Ministério de Minas e Energia.

Ao formalizar o requerimento junto ao Ministério, Galli pontuou alguns fatores que justificariam a retirada do Estado do programa nacional de horário de verão a partir do ano que vem. “As razões são muitas, mas principalmente, a questão da segurança. Os trabalhadores e estudantes precisam sair cedo de suas casas e com o horário de verão, ainda está escuro pela manhã”, pontua Victório Galli.

Ainda entre as razões está o cansaço físico provocado pelo adiantamento das horas. “Essa alteração impacta o relógio biológico dos trabalhadores que acabam ficando mais cansados, sem falar em crianças indo mais cedo para a escola, sonolentas e ainda no escuro. Por causa disso, queremos Mato Grosso fora do horário de verão”.

O horário de verão 2015/2016 teve início no dia 18 de outubro e segue até 21 de fevereiro de 2016. Os relógios foram adiantados em uma hora nas regiões Centro-Oeste, Sul e Sudeste: Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Espírito Santo.

No período 2015/2016 a previsão é que o horário de verão gere economia de 4,3% na demanda por energia elétrica no horário de pico, das 18h às 21h. Este índice está dentro da meta considerada ideal pelo Operador Nacional do sistema. A estimativa da Energisa Mato Grosso é uma economia de 0,90% do consumo, levemente abaixo dos 0,96% constatados no período passado.

Segundo o deputado federal, o consumo de energia elétrica em Mato Grosso está abaixo da média projetada pela Energisa. Galli destacou ainda já ter conversado com o governador Pedro Taques sobre ao assunto.

“Levei para o governador o clamor da população, que tem se colocado contra o programa por entender que tem trazido vários transtornos sociais. Aqui o consumo está abaixo da média, não havendo a necessidade de continuação da regra para Mato Grosso. Contudo fica claro que o Governo Federal tem aplicado esta regra no sistema de ‘atacadão’, não realizaram um estudo para destacar a real necessidade da mudança de horário nas diferentes regiões do país”, diz Galli.

Fonte: Circuito MT