A ideologia que bate em nossa porta
Supermoveis

show


A ideologia que bate em nossa porta

Fonte: Redação
SHARE
Foto: Arquivo Pessoal

Nesta última semana a sociedade organizada se reuniu em audiência pública para debater e discutir sobre ideologia de gênero voltada a uma possível inserção dessa temática nas grades curriculares das escolas. Diante disso toda a comunidade de nossa cidade se prontificou para dizer ‘’NÃO’’ a esse tema que fere o ceio familiar e os princípios Cristãos e antropológicos. Estamos todos entristecidos a forma como a mídia vem cultuando essas dúvidas de uma falsa liberdade de uma criança poder escolher o que quer ser no quesito de sua sexualidade, vemos novelas, personalidades midiáticas, musicas, enfim uma série de situações as quais nossas famílias e principalmente as crianças em estágio de formação psicológica e física estão recebendo isso. O que antes já era difícil para os pais lidar com as questões de homossexualismo ou lesbianismo, agora já vai muito além disso, a preocupação atual vem a ser, uma pessoa que se diz ter nascido em um corpo errado e sentir um imenso vazia por isso. Fato que todos ao dizer seu não a esta temática estamos nos esquecendo de uma situação extremamente importante e que precisamos de auxílio do poder público, social, das igrejas principalmente e dos que transmitem o ensino nas escolas de nosso país, como será a forma que iremos acolher estas crianças, adolescentes e jovens que virão com estes sentimentos, como poderemos ajuda-los de maneira concreta? Como as famílias irão se preparar para acolher estas crianças que virão com dúvidas? As igrejas estão dispostas a receber estas ovelhas perdidas e orienta-las? Fato que a sociedade não está preparada para lidar com tudo isso, são situações que fogem do nosso controle. Cada pai e mãe sonha construir uma família livre de situações como estas ou que os filhos busquem o caminho do mal, porém chega um determinado momento a qual cada um faz suas escolhas, se são as melhores isso cada um quem sabe, pode até ser que você pai e mãe tenha realizado um ótimo trabalho com seus filhos dado a melhor educação, nos melhores padrões, mais chega em um certo estágio da vida que cada pessoa resolve como proceder com suas escolhas, mais nem todos estão preparados pra aceitar as escolhas de alguns. Não tem como fugirmos dessa realidade ou tentar mascarar, pode até ser que dentro de nossas casas a gente não os deixe ver filmes, novelas, situações que exponha sobre a ideologia mais nossos filhos escutaram alguém falar disso na escola, na rua, ou em algum lugar. Temos uma clareza muito grande e a luz da palavra de Deus nos diz pra que e como viemos ao mundo, porém, as descendências farão suas escolhas e ai, volto a origem de minhas perguntas e gostariam que todos aqueles que lerem este texto também se perguntem não com o intuito de aceitar a ideologia de gênero ou algo assim, não é isso, mais a preocupação deste escritor é de como nos preparar pra acolher os questionamentos dos nossos filhos perante tudo isso, como eu filho e servo de Deus irei acolher da melhor forma possível este irmão ou irmã. Não podemos fechar os olhos enquanto a isso, pois já é uma realidade, e ao invés de ficarmos debatendo estas leis que querem se adentrar de forma camuflada em nossa sociedade, peço a todos que nos preparemos para sermos pessoas que irão estar aqui para acolher e ajudar a orientar essas ovelhas feridas e machucadas ao caminho certo, refletindo sobre sua vida, seu corpo, mostrarmos que somos imagem e semelhança de Deus.  

José Olavo Pio: É Eng. CivilProf. Universitário, Servidor Público, Empresário e Escritor local.