A exemplo dos últimos anos, Percival não deve promover carnaval popular em...
Fullbanner1

Fullbanner2


A exemplo dos últimos anos, Percival não deve promover carnaval popular em 2016

Em fevereiro de 2012, último ano do Rondonfolia, ainda na Administração Zé do Pátio, Percival preferiu ir ao Rio de Janeiro, conferiu os desfiles das escolas de Samba e participou da tradicional FEIJOADA DO AMARAL, que reúne, durante as festividades, a alta sociedade e os famosos cariocas na casa do megaempresário Ricardo do Amaral, considerado o "Rei da Noite" na cidade Maravilhosa.

Fonte:
SHARE
Percival e amigo Júnior Bezerra, em 2012, no Carnaval Carioca. Prefeito ainda não confirmou se vai ao Rio acompanhar de perto novamente a "maior festa do mundo"

O prefeito Percival Muniz (PPS) tem se mostrado um político bastante diferente do “velho barba”, que comandou a cidade de 1998 a 2004 e criou na época o Rondonfolia – carnaval de rua que para muitos foi o melhor de Mato Grosso por vários anos. Em 2016, o gestor, a exemplo do que já foram os três primeiros anos do seu atual mandato, não deve por dinheiro na festa e muito menos articula uma parceria público/privada para garantir a alegria dos foliões.

Desta maneira, quem quiser festejar terá de preparar bem o bolso para ir a festas privadas na cidade ou então se deslocar até cidades vizinhas, como Guiratinga, onde as ruas devem ser tomadas pelos carnavalescos. A tão propagada crise financeira, que afeta não só a Administração Pública, mas também os empresários e todos os tradicionais e potenciais financiadores de um provável Rondonfolia, como é o caso da Cervejaria Petrópolis, justifica o ato do prefeito de mais uma vez negar o investimento.

Ocorre que se não tivesse tendo festa, mas em outras áreas as coisas tivessem acontecendo a economia seria justificada, no entanto, não é o que se vê. A Unidade de Pronto Atendimento – UPA, obra deixada ainda pelo ex-prefeito e atual deputado estadual, Zé Carlos do Pátio (SDD), passados três anos de Percival, ainda não foi entregue por falta de recursos para finalização. Enquanto isso a ferrugem já começa tomar conta das ferragens da fachada do prédio, ainda não entregue à população.

Outro ponto bastante polêmico de Percival dizer “não” ao carnaval é sua estreita relação com o vereador Ibrahim Zaher (PSD), que também é empresário do ramo de eventos na cidade e promove o ”Carnaval Kalango”, que apesar de vender abadás com um preço nada modesto, não atrai somente o público elitizado. Desta maneira, o prefeito talvez não queira ser o responsável pelo prejuízo ou mesmo pela diminuição do lucro do seu vereador mais querido, atualmente, promovendo o Rondonfolia.

Em todo caso, os dizeres de um vereador da Câmara Municipal, amigo dos servidores públicos, sobre o fato de que “Percival não é mais o mesmo e nem perto do prefeito que tivemos no passado” pode ser exemplificado com a política sobre o carnaval.

Da Redação 

Montreal